Ir para o conteúdo

Autenticação

Estudantes de Ibirapitanga aprendem como registrar irregularidades e denunciar aos órgãos de controle

 

alunos e pauloFinalizando o roteiro de viagens pelo interior do estado, a Ouvidoria vai à Escola visitou, de segunda a sexta-feira (10 a 14.07), seis unidades escolares da rede pública. Nesta sexta-feira (14.07), os líderes e vice-líderes do Colégio Estadual Paulo César da Nova Almeida e estudantes da 8 série do Centro Educacional de Ibirapitanga foram instruídos a participar mais ativamente do controle dos recursos públicos.

O ouvidor adjunto do TCE, Paulo Figueiredo, explicou que a Ouvidoria é responsável por fazer esta aproximação entre o cidadão e o Estado (Tribunal de Contas) diante de sua função controladora, sendo essencial a participação da sociedade na correição e aperfeiçoamento das instituições públicas.

“É um serviço oferecido ao cidadão, a sociedade civil e demais interessados para que os mesmos possam se manifestar, fazendo denúncias, críticas, oferecendo sugestões de aprimoramento ou mesmo elogiando desempenho de órgãos públicos”, acrescentou Figueiredo, divulgando os canais WhatsApp (71) 99902-0166 da instituição, o telefone 0800 2843115 e o site www.tce.ba.gov.br.

presenteFigueiredo explicou que um dos critérios para auditar obras públicas é o da materialidade das obras, as denúncias encaminhadas ou existentes na mídia. Paulo Figueiredo distinguiu os três tipos de controle: interno, externo e social. E convidou o cidadão a fiscalizar a aplicação do recurso público. “Por isso, estamos convidando convocando vocês para exercerem o controle social. Não temos pessoal suficiente para acompanhar todas as obras no estado. Vocês precisam fiscalizar, já que são os principais beneficiados com as obras e serviços da sua cidade”.

O projeto, uma iniciativa da Secretaria da Educação, visa promover a participação da comunidade escolar na gestão, contribuir com a formação cidadã dos estudantes da rede estadual, bem como colaborar com o processo de promoção da melhoria da qualidade da educação e a garantia do direito de aprender.

Durante a explanação, foram apresentados produtos de comunicação como a “Versão Cidadã do Relatório e Parecer Prévio do TCE/BA sobre as Contas do Chefe do Poder Executivo da Bahia”, o vídeo institucional “O TCE mais perto de você”, as cartilhas “Heróis da Cidadania conhecem o TCE/BA” e “O TCE quer ouvir você”, além da revista em quadrinhos “Você no Controle”.

DEPOIMENTOS

“Percebemos como essa pauta é fundamental para formar cidadãos conscientes e estimular o controle social no interior. Com esse trabalho, o TCE está contribuindo para que eles tenham consciência crítica e não se calem ao perceber indícios de irregularidades. O projeto é nota 10. Espero que novos auditores sociais surjam a partir de agora e reclamem pelos nossos direitos”.
Eleondes Coelho dos Santos – professor de filosofia e diretor do Colégio Estadual Paulo César da Nova Almeida

KleivisonMonique

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

“Aprendemos o que é o TCE e o que a instituição faz. Abrimos a nossa mente e vamos ficar vigilantes em relação aos nossos gestores. Não sabemos o valor do recurso destinado para a unidade escolar e vamos buscar conhecer tudo isso. Além de acompanhar as obras da nossa cidade".
Kleivisson Souza da Silva – estudante do 1º ano do ensino médio

“A palestra foi muito produtiva, pois esclareceu que professores, alunos e funcionários podem recorrer ao Tribunal de Contas. O WhatsApp é uma ferramenta de fácil acesso e que pode ser usada para o bem. Acho que, a partir de hoje, ficaremos atentos e saberemos a quem reclamar. Precisamos acompanhar de perto a aplicação dos recursos públicos.”
Monique Batista de Castro Costa – estudante do 3º ano do ensino médio