Ir para o conteúdo

Autenticação

Ouvidoria vai à Escola convoca estudantes de duas instituições para atuarem como auditores sociais

 

primeiraA participação da população é imprescindível para coibir os desvios de dinheiro público. E uma das formas de exercer o controle social é denunciando indícios de irregularidades. O ouvidor adjunto do Tribunal de Contas do Estado da Bahia (TCE/BA), Paulo Figueiredo, cumpriu uma maratona da cidadania, nesta quarta-feira (30.08), que buscou inspirar os estudantes da rede pública de duas instituições de ensino a se tornarem auditores sociais.

Paulo Figueiredo visitou pela manhã o Colégio Estadual João Cardoso dos Santos, do município de Valença, e no período da tarde, o Colégio Estadual Governador Luiz Viana Filho, localizado em Nazaré das Farinhas. Utilizando-se de uma linguagem simples, o ouvidor mostrou como funciona a Ouvidoria e de que forma os jovens podem colaborar com sugestões para a melhoria das condições de ensino e das instalações físicas das unidades educacionais.

Durante a explanação, o ouvidor abriu um espaço para discussões e debates com os alunos, dando ênfase ao controle externo e à importância do exercício do controle social para que os cidadãos cobrem a boa aplicação dos recursos públicos pagos com impostos, taxas e contribuições.

segundaFigueiredo explicou dois dos critérios para auditar obras públicas, que são o da materialidade das obras e por amostragem, e distinguiu os três tipos de controle: interno, externo e social. Além de convocar o cidadão a fiscalizar a aplicação do recurso público.

“Vocês precisam exercer o controle social. Não temos pessoal suficiente para acompanhar todas as obras no estado. Vocês são os principais beneficiados com as obras e serviços da sua cidade”.

DEPOIMENTOS

“Me sinto segura para denunciar. Depois de eleitos, nossos representantes nos dão as costas e se sentem confortáveis para praticar todo tipo de absurdo. Quero ter o direito de expor a minha opinião. Temos uma obra de uma praça na Vila Operário que tem quatro anos que não passa de uma promessa. Mas agora sei como incomodar. Vamos utilizar o Whatsapp e não descansaremos enquanto não entregarem serviços e obras de qualidade”.
Maria Kelly, estudante do 2 ano do ensino médio

maria

menino

 

 

 

 

 

 

 

 

 

“Já tinha ouvido falar nos noticiários, mas não sabia qual a função da instituição. Minha mente está aberta e agora sei como reivindicar meus direitos. Sem dúvida que iremos formar grupos e iremos nos organizar para acompanhar todas as obras da cidade. Já sei que a primeira coisa é fotografar a placa da obra”.
Vinicius da Silva do Nascimento, estudante do 3 ano do ensino médio

nazare“Precisamos olhar para o nosso município com carinho e cuidar da nossa escola. Afinal de contas, pagamos impostos e queremos que esse dinheiro retorne. Sempre fui curiosa e atenta. Esse conteúdo fortaleceu meu espírito”.
Ana Bárbara Conceição Barreto Barbosa, estudante do 1 ano do ensino médio

“Nossos alunos saem mais fortalecidos e passam a conhecer o papel deles como cidadãos. Toda e qualquer informação sobre a administração pública que esclareça os estudantes é muito importante. Temos líderes interessados e que vão se comprometer em disseminar todo o conteúdo. O controle social é fundamental para termos um retorno dos investimentos”.
Líbia de Araújo Pereira – direitoa do Colégio Estadual João Cardoso dos Santos