Ir para o conteúdo

Autenticação

Ouvidoria orienta mais de 400 alunos de Heliópolis e Paripiranga a identificar irregularidades em obras públicas

 

lotacaoCerca de 480 estudantes do ensino fundamental e médio de duas instituições de ensino dos municípios de Heliópolis e Paripiranga (Colégio Estadual José Dantas de Souza e Colégio Estadual Governador Roberto Santos) foram convidados, nesta quinta-feira (26.10), pelo ouvidor adjunto do Tribunal de Contas do Estado da Bahia (TCE/BA), Paulo Figueiredo, a participar do processo de fiscalização da aplicação do recurso público, no qual a educação é fundamental para combater a corrupção.

Professores, alunos e funcionários das unidades receberam o Projeto Ouvidoria vai à Escola, iniciativa idealizada pela Secretaria Estadual de Educação, que foi incorporada pelo TCE/BA com o propósito de aproximar a sociedade da Casa de Controle.

O ouvidor utilizou casos clássicos para mostrar como detectar indícios de irregularidades, a exemplo da construção de uma praça pública, uma quadra poliesportiva ou de uma casa de farinha. E alertou: “Sem o controle social, que é feito por todos nós, esse trabalho não adianta de nada. Cada um aqui precisa tomar pra si a responsabilidade. Depois que elegemos os nossos representantes, devemos acompanhar a sua gestão e cobrar dele ações e projetos”.

explicacaoA palestra entusiasmou os alunos, que não deixaram de questionar o representante do Tribunal, especialmente sobre obras paralisadas no município, desdobramento das denúncias encaminhadas, julgamento das contas e os diferentes controles: interno, externo e social.

A líder de classe Eulália Nivea Gama Freire, estudante do 2º ano do ensino médio, resumiu a palestra como um despertar de consciência. “Começamos a nos perguntar se estamos sendo realmente beneficiados. Não é como está de olhos vendados. Sem saber a quem reclamar. Saímos daqui com a certeza de que podemos também cobrar e fiscalizar o nosso prefeito”, concluiu.

“Saio muito mais motivado, informado e preparado para defender não só o meu interesse, mas de toda a população. Com a tecnologia que temos disponível, o WhatsApp se mostra um efetivo canal de comunicação com o órgão. A partir de agora vamos formar grupos de alunos e professores comprometidos com a causa. Se houver o que denunciar, não nos faremos de rogado”, afirmou José Fabiano Sousa Gama, estudante do 1º ano do ensino médio.

A apresentação contou ainda com a exibição de vídeos com a finalidade de provocar a reflexão dos estudantes sobre as benesses que os gestores públicos usufruem em detrimento dos serviços oferecidos para população. E, por fim, foi exibido um vídeo motivacional, que mostrou um exemplo de superação pessoal e transmitiu a mensagem de que, apesar das dificuldades encontradas ao longo da vida, o estudo é a chave-mestra para abrir portas para o futuro.

eulaliajose copy