Ir para o conteúdo

Autenticação

Ouvidoria vai à Escola leva mensagem de controle social para mais de 2 mil estudantes da rede pública

 

IMG 8945O Projeto Ouvidora vai à Escola encerrou, nesta sexta-feira (1º.12), as atividades de 2017, debatendo com os estudantes do Colégio do Estadual de Araças sobre os problemas vivenciados no dia a dia da unidade de ensino. Este ano, o ouvidor adjunto do TCE/BA, Paulo Figueiredo, atingiu um público de 2.102 estudantes de 51 instituições de ensino da rede pública.

Na última apresentação, Figueiredo iniciou sua fala mostrando quanto de imposto o cidadão paga para ter acesso a determinados produtos, a exemplo de medicamentos, café, água, caderno, cosméticos, dentre outros. E convocou cada estudante para acompanhar de perto as obras e serviços públicos prestados pelo município.

Depois de explicar o papel da Ouvidoria e orientar como o cidadão pode registrar uma manifestação, Figueiredo reforçou que o trabalho de conscientização tem o propósito de implementar um canal de comunicação e interação com o cidadão de forma a estimular o controle social e a fortalecer o exercício da cidadania, além de promover a aproximação do cidadão com a Corte de Contas.

IMG 8949O palestrante esclareceu que nenhum Tribunal de Contas tem capacidade de fiscalizar todas as obras que estão sendo executados e que a sociedade precisa estar atenta em relação a correta aplicação dos recursos públicos. “O controle social é a forma mais legítima de controle da administração pública. E a participação do cidadão tem ajudado muito as auditorias do TCE a focar suas ações nas áreas mais sensíveis das administrações”, disse.

De acordo com o ouvidor do TCE/BA, o Brasil tem mais de 5 mil obras paralisadas e apenas 5% do recurso desviado retorna aos cofres públicos, provocando uma reflexão sobre o papel deles nesse cenário desolador. “Todos podem ajudar na fiscalização da aplicação dos recursos públicos. Vocês são os principais atores no exercício da participação popular na administração pública”.

“É preciso ter vontade de fazer as coisas e de exercer a cidadania, mas é necessário atuar de forma organizada. Controle social requer educação, organização e conhecimento das políticas públicas”, concluiu.

DEPOIMENTOS

“Gostei muito da palestra por nos mostrar a importância de pagar os impostos, dinheiro este que é utilizado para obras públicas. Não tinha conhecimento sobre a atuação do Tribunal. E o que mais me chamou a atenção foi a força que temos quando estamos juntos. Mesmo no interior, longe dos grandes centros, podemos exercer nosso direito de cobrar serviços e obras de qualidade”.
Ediele Kawamorita Neves da Silva - estudante do 2º ano do ensino médio

IMG 8946“Saio com um olhar crítico e vigilante. Vamos ficar ligados a partir de agora. Essas informações devem chegar ao maior número de pessoas. Temos uma ferramenta que pode nos auxiliar no registro de denúncias e não ficaremos mais calados”.
Florisvaldo de Jesus Barreto - estudante do EJA (Educação Jovem e Adulto)