anaO Projeto Ouvidora vai à Escola encerrou, nesta quarta-feira (23.11), as atividades de 2022, debatendo com os estudantes do Colégio do Estadual Bartolomeu de Gusmão, em Lauro de Freitas, sobre os problemas vivenciados no dia a dia da unidade de ensino. Na última apresentação, a ouvidora adjunta, Ana Patrícia Crisóstomo Pereira, e o auditor estadual de controle externo Juvenal Alves Costa mostraram que, para que o trabalho dos auditores seja eficaz e eficiente, é fundamental que o cidadão entenda que o controle da gestão pública é um dever de todos e que eles podem e devem acionar os órgãos de controle externo.

A dupla reafirmou que noções de cidadania, controle externo, direitos e deveres devem estar permanentemente na pauta das escolas. Ana Patrícia e Juvenal distinguiram os três tipos de controle: interno, externo e social e mostraram como os estudantes podem auxiliar o Tribunal de Contas na fiscalização dos recursos estaduais, reforçando que a missão do Tribunal deve ser cumprida com o apoio da sociedade. Com o objetivo de facilitar e estreitar o diálogo entre a sociedade e o Tribunal, foram divulgados ainda o WhatsApp (71) 99902-0166 da instituição, o telefone 0800 2843115 e o site www.tce.ba.gov.br.

Cerca de 40 estudantes assistiram ao vídeo institucional do TCE e tiveram a oportunidade de tirar dúvidas sobre o Tribunal, além de saber quais as competências dos órgãos de controle, garantias constitucionais, Lei de Acesso à Informação, entre outros assuntos.

menina2“Desde pequena escuto em casa que o público tem que ser valorizado. A entidade pública, quando é bem gerenciada, produz produtos e expectativa de vida. Quando decidi ser gestora escolar, pude trazer isso para minha vivência na escola. Estou há 32 anos nessa área e acredito num projeto de vida do estudante. São desafios diários, mas a vontade de querer fazer e transformar a escola tem que ser tamanha. Quando você acredita, você consegue impulsionar o outro. Trabalhamos com mais de 1,6 mil estudantes que buscam essa instituição pela excelência e por acreditam no trabalho desenvolvido”, destacou a diretora Sandra Pitanga.

menina1DEPOIMENTOS

“A palestra foi ótima. O controle social é essencial para o cidadão. Aprendemos hoje a importância de nos unirmos para tentar resolver os problemas da nossa escola e de tantas outras”.
Fabiana Victoria da Silva de Jesus, 18 anos, 3° ano.

“Entendi que o controle social é chave para a mudança. Durante muito tempo não sabíamos como e com quem reclamar. Precisamos expressar mais a nossa opinião e sinalizar as deficiências da escola”.
Fabiana Souza, 18 anos, 3° ano