Ir para o conteúdo

Autenticação

Aprovada moção de aplauso à ALBA pela concessão da Medalha Dois de Julho ao conselheiro Inaldo Araújo

IMG 8516O plenário do Tribunal de Contas do Estado da Bahia (TCE/BA) aprovou, em sessão ordinária desta terça-feira (30.10), moção de louvor e aplauso à Assembleia Legislativa do Estado da Bahia (Alba) pela concessão da medalha Dois de Julho ao conselheiro-corregedor da Corte de Contas, Inaldo da Paixão Santos Araújo. A comenda, instituída pela Lei 11.902, de 20 de abril de 2010, é a mais alta honraria concedida pela Alba a cidadãos baianos reconhecidos por darem continuidade à luta pela liberdade e foi concedida por iniciativa do deputado federal eleito Adolfo Viana (PSDB), tendo sido aprovada à unanimidade pelos deputados estaduais.

Na apresentação da proposta da moção, o presidente do TCE/BA, conselheiro Gildásio Penedo Filho, observou que a concessão da comenda faz justiça “a esse competente servidor e hoje conselheiro e ex-presidente desta Corte de Contas”. E concluiu que a iniciativa homenageia não somente ao conselheiro Inaldo, mas a todo o Tribunal de Contas. Aprovada com o apoio de todos os conselheiros presentes, a moção também recebeu a adesão dos representantes do Ministério Público de Contas (MPC) e da Procuradoria Geral do Estado (PGE).

Por ser pai do deputado que propôs a concessão da medalha, o conselheiro Antonio Honorato absteve-se de votar, mas fez questão de registrar seu apoio e reconhecer a justiça da homenagem que a Assembleia Legislativa fez, exaltando as qualidades do conselheiro Inaldo Araújo. E se disse ainda mais feliz pelo fato de ele ter sido o presidente da Alba que criou a Medalha Dois de Julho. Também fizeram questão de se pronunciar os conselheiros Marcus Presídio, João Bonfim e o conselheiro substituto Sérgio Spector.

Revelando-se emocionado, o conselheiro-corregedor agradeceu as palavras elogiosas de todos e, depois de uma breve digressão sobre sua trajetória de vida até chegar ao cargo de conselheiro, destacou que a homenagem é mais importante por ser um reconhecimento da Assembleia Legislativa, a Casa do Povo, completando: “Ninguém faz nada sozinho. Por isto, esta medalha pertence a todos os servidores deste Tribunal, desde o mais humilde até os conselheiros, que vestem a camisa do bom controle”, ressaltou o conselheiro Inaldo Araújo.